Críticas que compõem o corpus

Para a criação do corpus foram selecionados textos publicados até abril de 2019 por cinco revistas de arte digitais atuantes no Brasil (Icônica, eRevista Performatus, Arte Contexto, Revista Desvio e o fermento) segundo características gerais da crítica de arte, baseadas no ensaio La critique d'art de Claire Fagnart (2017). São elas: as críticas de arte são textos escritos; esses textos analisam obras de arte ou eventos da atualidade de seus autores, a qual foi considerada a partir do ano 2000; esses textos não são um texto em hitória da arte e nem em teoria da arte; o autor da crítica não é o artista da obra discutida, nem o curador da exposição, nem o autor dos textos de apresentação da mostra.

Para a identificação das críticas de arte publicadas por cada revista, os títulos dos textos e curtas apresentações foram de fundamental importância. As fichas técnicas presentes nas legendas de obras foram utilizadas como uma maneira de estabelecer o intervalo temporal trabalhado pelos autores. Além disso, foram identificadas as seções de cada revista que publicam habitualmente conteúdos relacionados com a crítica de arte (por exemplo: Icônica - Paragem; eRevista Performatus - Perfil de Artista, quando não apresenta diretamente uma entrevista com o artista, e Críticas; Arte ConTexto - Aposta; Revista Desvio - Crítica Semanal; e o fermento - Resenhas). No caso dos comentários críticos sobre eventos, foram consideradas as menções a artistas do passado quando esses estavam em exposição. Entre os eventos, foram considerados: exposições de arte, festivais de dança, de teatro, de cinema e de performance, mas também o momento do falecimento de artistas, quando esse motivou a escrita de reflexões críticas sobre as suas produções.